Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2010

Literatura GED

Abaixo estão listados alguns livros sobre ECM, GED, BPM e Workflow (lista criada em 2010 por http://www.ged.net.br):

GED: Gerenciamento Eletrônico de Documentos - Roquemar Baldam, Rogério Valle, Marcos Cavalcanti - Editora: Érica EDMS: Gerenciamento Eletrônico de Documentos Técnicos - Roquemar Baldam - Editora: Érica Gerenciamento Arquivístico de Documentos Eletrônicos - Rosely Curi Rondinelli - Editora: FGV Workflow: uma tecnologia para transformação do conhecimento nas organizações - Juarez Jonas Thives Jr. - Editora Insular Gerenciamento de Processos de Negócios - BPM - Business Process Management - Roquemar Baldam, Rogério Valle, Humerto Pereira, Sérgio Hilst, Maurício Abreu e Valmir Sobral - Editora Érica Análise e Modelagem de Processos de Negócio: foco na notação BPMN (Business Process Modeling Notation) - Rogério Valle e Saulo Barbará de Oliveira - Editora Atlas BPM & BPMS - Business Process Management & Business Process Management Systems - Tadeu Cruz - Edito…

Gestão Eletrônica de Documentos (GED)

A ciência arquivística permite a interdisciplinaridade com outras várias áreas do conhecimento. Uma delas é a TI (Tecnologia da Informação) que freqüentemente vem sendo introduzida no processo arquivístico devido ao constante avanço tecnológico que vem ocorrendo na sociedade e, portanto dentro de cada organização que produza documentos. A agilidade e aumento do índice de recuperação das informações e a redução da massa documental são alguns benefícios resultantes dessa união.

A GED (Gestão Eletrônica de Documentos) é uma área do conhecimento que está inserida no grande campo da Ciência da Informação e também da TI, sendo resultado dessa interdisciplinaridade.
Enquanto a Ciência da informação "considera a informação, lato sensu, como seu objeto" e a Arquivologia tende a considerar "os arquivos" como seu único objeto (JARDIM, 1995 p. 48), percebemos um forte vínculo entre essas áreas, já que a informação não existe sem um suporte, e visto que o suporte mais a informa…

Software espião já ultrapassa vírus destruidor

Estratégia dos piratas virtuais hoje é se instalar secretamente no PC para obter dados. Variantes de spyware pularam de 2.000 em 2003 para mais de 20 mil em 2005.
Nos primeiros anos da internet, a grande preocupação dos usuários em relação aos piratas virtuais era o perigo de ter seus arquivos destruídos e até mesmo todo o funcionamento do PC comprometido. Hoje, esse método já está estacionado, e o maior problema é manter os dados protegidos: o spyware, código malicioso que se instala secretamente no computador do usuário para roubar dados, tem milhares de novas variações criadas a cada dia.
“O vírus utilizado para destruir arquivos já foi controlado, não houve aumento no número de variações nos últimos anos. Mas é cada vez maior a criação de técnicas para a invasão despercebida de computadores, aliadas ao crime virtual” afirma Eduardo D’Antona, diretor-executivo da Panda Software, empresa que desenvolve soluções de segurança.
Segundo o especialista, a quantidade de variantes de spyw…