Pesquisando...
31 março 2010

A Velha História do Linux no Desktop

A Coca-Cola dos Sistemas Operacionais..
Escrito por Walfran Carvalho



"Uma discussão clássica é comparar Linux e Windows, certamente existem muitas diferenças, muitos pontos positivos e negativos ao escolher o Linux como sistema operacional e certamente o mesmo deve ser válido para o Windows.


Nesse contexto, perdoem a analogia, mas ainda podemos afirmar que o Windows está para os sistemas operacionais em desktops o mesmo que a Coca-Cola está para os refrigerantes, ou seja, popularidade não falta, e nesse ponto não posso e nem acredito que o melhor caminho para o Linux seja  ressaltar sua qualidades, mesmo porque até há pouco tempo era usuário Windows, e confesso que consegui me adaptar totalmente à realidade do Linux, encontrei ferramentas que tornessem meu trabalho produtivo e posso afirmar que compensou, tenho um sistema estável e tranquilo para uso diário tanto no trabalho como no desktop.

Um fator que impede maior popularidade do Linux pode ser o elevado número de distribuições, isso confunde os usuários ao iniciarem suas pesquisas, certamente o impacto de usar o Gnome ou KDE e ainda a fama de que determinadas ferramentas ou hardwares não funcionam também atrapalham, sem contar nas lendas de que existem inúmeras incompatibilidades de formatos de documentos, enfim, as pessoas acreditam que ao usarem Linux ficarão "ilhadas", e olha que normalmente a maioria dos usuários usa seu desktop para conectar a internet, usar instant messenger, sites bancários, compras e editar textos, rotinas totalmente supridas com qualidade por softwares livres.

Naturalmente, cada usário tem necessidades específicas no uso de seu desktop, mesmo assim, é possível encontrar alternativas. No uso profissional certamente temos softwares extremamente específicos que podem impedir o uso do Linux, mas francamente, traçando um paralelo, para prepararmos o Windows para uso diário, dependemos de aquisição de licenças de vários softwares, tornando o custo agregado elevado, e não é raro encontramos software não licenciados em desktops, dando oportunidade a toda sorte de vírus, malwares, e afins.

Procuro não ser ortodoxo, acredito que depende do escopo, da especificação e necessidade de cada situação, não afirmo que o Windows Vista é péssimo, tem e terá sempre espaço, assim como outras versões do sistema, mas honestamente, não sei usar, pulei essa versão em detrimento de adaptação e aprendizado do Linux, comecei pelo Ubuntu, usei o Debian e, confesso continuar testando. Enfim, "salvo disposição em contrário" use software livre.

Observamos que o tema é realmente polêmico e extenso, discutir o linux como sistema operacional em servidores é um caminho que já tem um rumo decidido e acertado, é quase unanimidade, porém, seu uso em desktops encontra barreiras, não sei se é o caminho correto, mas é uma opção, e certamente, como um novo usuário do sistema, afirmo que além mudar a rotina é gratificante.

Afirmar simplesmente que o Linux é difícil não é justificativa, pois temos opções excelentes de distribições para um desktop produtivo, documentação para soluções de problemas, exigindo apenas mudança na rotina, coragem e atitude.

Existem inúmeros artigos sobre o assunto, destaco alguns:
Artigo publicado na Revista Espírito Livre que em sua edição nº 05 traz o tema como destaque
Linux e desktop: é mesmo um casamento em crise?
Por que "Linux nos desktops" deixou de ser um tema relevante"
Em 31 março 2010

1 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir